domingo, setembro 24, 2006

Amigos da Montanha – Ascensão ao Espiguete (2450 m.) – Páscoa de 2006.

Não tenho podido actualizar com mais regularidade este blogue, relatando actividades em montanhas e afins que realizei, por falta de tempo (não de vontade). Contudo, pelo facto de muito recentemente ter encontrado umas fotos que pensava ter inadvertidamente apagado do HD do meu computador (para sempre), relativas à ascensão ao Espiguete, na Serra Cantábrica, na Páscoa, com os “Amigos da Montanha (AM) induziu-me a mais um post e respectivas fotos.

Pelo tempo que medeia entretanto alguns aspectos e pormenores escapam-me. Mas vou tentar lembrar-me o melhor possível dos diversos ‘episódios’ da actividade. A descrição vai ser tipo relatório, sem grandes (ou nenhuns) lirismos…

(Clicar nas fotos para ampliar)

Antes de tudo refiro que a actividade foi organizada e coordenada pelo Kata (coordenador técnico da secção de montanha dos AM) e pelo Peixoto (director de alpinismo da secção de montanha dos AM).

A saída da sede dos Amigos da Montanha, em Barcelinhos, processou-se na madrugada do dia 14 de Abril de 2006, com chuva a espaços, que nos acompanhou durante o trajecto rumo à zona meridional da Serra Cantábrica. Se bem me recordo, resolvemos almoçar em Sahagun. Cerca das 15.h00 (lusas) estacionamos as duas carrinhas da associação no parque de estacionamento do início da Senda de Mazobre. Na primeira hora de decurso da Senda não choveu. Quando começou a chover, aí, quase não mais parou. A partir de cerca de 1600 m. a neve no chão e a chuva pelo ar já eram uma constante companhia. Ainda antes de se atingir os 1800 m. a chuva deu lugar ao granizo, e também alguma neve.

Montou-se acampamento base a cerca de 1900 m. numa das poucas zonas não cobertas de neve, mas ao invés com mil pedras, pedrinhas e pedregulhos. A temperatura registada era um pouco abaixo do que se esperava para época do ano. Rondava a esta cota os zero graus e o vento era cada vez mais pronunciado. A montagem das tendas obrigou assim um acrescido esforço e a intensa àgua da chuva, neve e granizo já começava a infiltrar-se por todo o lado, mesmo com todo o material impermeabilizante. As tendas foram bem seguras, devido ao fortíssimo vento que fazia sentir na aérea. Jantou-se logo de seguida.

Pelo que constatei no dia seguinte (15/04/006) a generalidade das pessoas não dormiu muito bem, devido sobretudo à forte ventania nocturna (e algumas fortuitas pedras debaixo da tenda).

De manhãzinha cedo, cerca das 8 horas, começou-se a subir a vertente norte do Espiguete em duas cordadas:
-Kata, Fernando, Cadinha, Abílio, Marco.
-Peixoto, Melita, Toni, Fátima.

A partir de cerca dos 2200 metros o nevoeiro era intenso e o vento era relativamente pronunciado. Uns duzentos metros antes de se atingir o cume (pico oeste do Espiguete), no percorrer de uma aresta da montanha (coberta de neve, óbvio), passou-se por uma placa metálica incrustada na rocha em memória de um montanhista, falecido neste local em 1996.

No cume do Espiguete [2450m.] (foto tirado pelo Kata)

No cume do Espiguete (2450 metros), que se atingiu cerca das 11h.30, fazia-se sentir bastante vento e a Tº rondava os -5 ºC /-6 ºC. Foram tiradas as habituais fotos de recordação e logo se desceu com bom ritmo. Chegados às tendas almoçamos no seu interior e logo começamos a desmontar o acampamento pois a chuva não havia modo de arredar pé e já nem os melhores impermeáveis a sustinham. Acampamento desmontado, desceu-se.

(continua em breve…)


Fotos em grande tamanho da actividade no blogue Multiactividades Desportivas. A maioria das fotos reporta à primeira hora de subida da Senda Mazobre, no dia 14/04/006, pois a partir daí a persistente chuva, neve e granizo quase não permitiram captar mais imagens (para resguardo da máquina fotográfica) nas horas e dias seguintes.

Ou ver slideshow das fotos (medium size) no Flickr

Ou o seguinte slideshow:

Participantes na actividade: Kata, Peixoto, Abílio, Cadinha, Fátima, Fernando, Marco, Melita, Toni, Zacarias.


Todas as fotos aqui apresentadas são de Fernando Vilarinho (com excepção da que está assinalada [Kata])

2 Comments:

Anonymous Conchita Machado said...

Como adorei este Espaço !!!
Belíssimos e
significativos
posts ...

Aqui respira-se O2...

Voltarei oportunamente.

- Ficaria muito feliz
com sinal de presença
em meu canto...

AbraçoFraterno
ConchitaMachado

1:17 da manhã  
Blogger Fernando_Vilarinho said...

Ah! Ainda bem que gostates!

è pena eu não dispôr demais tempo para escrever aqui. vou tentando

abr,
fernando

3:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home